Sindi e Guzerá, raças conhecidas pela dupla aptidão, bem como Brahman, Nelore e Tabapuã, destiandas a produção de carne marcam presença na feira que é uma das maiores feiras do setro Agro no Brasil. 

Entre os dias 5 e 9 de fevereiro, acontece em Cascavel, Paraná, o Show Rural Coopavel, um dos maiores eventos do agronegócio brasileiro. A feira está em sua 30ª edição, e espera até sexta-feira (9) mais de 200 mil visitantes.
 
Com as novidades e tendências do segmento, a Coopavel proporciona muita tecnologia, inovação e genética.
 
Entre centenas de expositores presentes, visitantes interrompem a sua volta para olhar duas raças que chamam atenção, as zebuínas Sindi e Guzerá, que estão nos pavilhões E e F da rua C, expostas pelo criador Antonio Perianes Neto, o Toni da Agropecuária Baguassu, do município de Avaré-SP.
 
Com o passar dos anos, as raças ganharam prestigio e caíram no gosto dos pecuaristas. Toni, um apaixonado pelo zebu, relembra as dificuldades na época de seu avô, criador de gado leiteiro no interior de SP e seu inspirador. As propriedades, que há mais de 20 anos eram ocupadas exclusivamente com animais para cruzamentos industriais, tomaram novo formato, iniciando os trabalhos nas raças Sindi e Guzerá.
 
Conhecida internacionalmente, a Agropecuária Baguassu seleciona animais POs (Puro de Origem) e explora as múltiplas funções nos cruzamentos para carne e leite, com animais altamente aptos para todas as regiões e climas. Além disso, demonstra a sua contínua preocupação com a saúde e o bem-estar animal.
 
Sindi
De origem indiana, a raça Sindi mostra a sua história com ganhos surpreendentes, sendo acolhida pelos mais exigentes pecuaristas brasileiros e com propagação para os países vizinhos. A raça tem mostrado cada vez mais números e provas. Sua difusão no Brasil foi realizada por criadores do Sudeste e do Nordeste. Um dos rebanhos mais tradicionais do plantel PO da raça Sindi é o da Reunidas Castilho, hoje comandado pelo vice-presidente da ABCSindi, Adaldio Castilho. No site: www.sindicastilho.com.br , o  internauta pode acessar informações de PGP’s, abates técnicos e  controle leiteiro e resultados de outros estudos sobre os animais.
 
Texto adaptado: Rurally